• Casa dos frios
  • Dario PAX
  • Posto Aliança
  • Farmaduty
  • veloso
  • Garoto
  • Oticas Floriano
  • Oticas Floriano
  • Farmaduty
  • veloso
  • Garoto
  • Casa dos frios
  • Dario PAX
  • Posto Aliança

Em depoimento prestado na polícia por volta das 10h da manhã de hoje, Welberson Sousa da Silva Leite confessou ser o autor do sequestro de uma senhora na cidade de Floriano. Com riqueza de detalhes e em ordem cronológica ele disse que no dia 25 de setembro, por volta das 18h roubou um veículo Corola, no dia 28 usando o veículo roubado fez o sequestro colocando a vítima no bagageiro, utilizou os cartões de crédito da vítima para abastecer o carro roubado e fazer compras na cidade de Canto do Buriti, até ser descoberto através de uma operação em conjunto das polícias civil e militar da região e preso na localidade Salinas, região de Oeiras.

20161020 164838Delegado Regional Assis Carvalho. (Imagem:Temístocles Filho/jc24horas)

As informações foram passadas pelo Delegado Regional Assis Carvalho que em entrevista ao portal jc24horas enalteceu o trabalho de sua equipe e de todos os policiais civis e militares envolvidos nessa exitosa operação. "A gente teve o apoio de vários colegas. A Delegada Luana, colegas de Ipiranga, Itaueira, Canto do Buriti, São Raimundo Nonato e uma ajuda fundamental dos policiais de nossa região e fica o meu agradecimento a todos esses policiais honrados e a sociedade". Assis Carvalho falou da importância do apoio da comunidade que resultou em aproximadamente 20 autos de reconhecimento.

Na tarde de hoje, Welberson foi recambiado para o presídio de Vereda Grande onde ficará preso à disposição da justiça.

 

Da redação

O ex-presidente da Câmara e deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que foi preso pela Lava Jato em Brasília, fez exame de corpo de delito por volta das 10h desta quinta-feira (20) no Instituto Médico-Legal (IML) em Curitiba.

fd3724478e8dfc5a95b2b9db86c2328dPrisão de Eduardo Cunha. (Imagem:G1)

Ele chegou sem algemas em um carro da Polícia Federal (PF), disse "bom dia" aos jornalistas e foi encaminhado para o exame. O procedimento é padrão após a prisão e durou cerca de 10 minutos. Depois, Cunha foi levado novamente para a carceragem.

O ex-presidente passou a noite isolado em uma cela e sem contatos com os demais presos. Ao G1, o advogado dele, Ticiano Figueiredo, disse que até as 8h30 não tinha conversado com o seu cliente.

De acordo com a PF, Cunha levou apenas uma mala de roupas e está detido em uma cela com beliche de cimento, uma pequena bancada com um banquinho, um vaso e uma pia. Ele também vai fazer um horário diferenciado de banho de sol em relação aos demais presos de uma hora por dia.

Entre os outros investigados da Lava Jato presos na Superintendência da PF, estão o doleiro Alberto Youssef, o ex-presidente do Grupo Odebrecht, Marcelo Odebrecht, e o ex-ministro da Fazenda e da Casa Civil Antônio Palocci.

Cunha é acusado de receber propina de contrato de exploração de petróleo no Benin, na África, e de usar contas na Suíça para lavar o dinheiro. A decisão sobre a prisão foi do juiz federal Sérgio Moro, que é responsável pelos processos da Lava Jato na primeira instância.

No despacho que determinou a prisão, o juiz disse que o poder de Cunha para obstruir a Lava Jato "não se esvaziou" (leia a íntegra da decisão de Moro).

Após Cunha perder o foro privilegiado com a cassação do mandato, ocorrida em setembro, o juiz retomou na quinta-feira (13) o processo que corria no Supremo Tribunal Federal (STF). Nesta segunda (17), Moro havia intimado Cunha e dado 10 dias para que os advogados protocolassem defesa prévia.

Em nota divulgada por seus advogados, Cunha afirmou que a decisão de Moro que resultou na prisão é "absurda" e "sem nenhuma motivação"
Para o Ministério Público Federal (MPF), em liberdade, Cunha representa risco à instrução do processo e à ordem pública. Além disso, os procuradores argumentaram que "há possibilidade concreta de fuga em virtude da disponibilidade de recursos ocultos no exterior" e da dupla cidadania. Cunha tem passaporte italiano e teria, segundo o MPF, patrimônio oculto de cerca de US$ 13 milhões que podem estar em contas no exterior.

Pedido de prisão

Um dos tópicos do pedido de prisão fala sobre um empréstimo que, segundo o MPF, teria sido fraudado entre Claudia Cruz, esposa de Eduardo Cunha, e Francisco Oliveira da Silva, presidente da Igreja Evangélica Cristo.

De acordo com os procuradores, Claudia Cruz declarou empréstimo de R$ 250 mil em 2008. Entretanto, a partir de quebra de sigilo bancários de ambos, não foram identificados relacionamentos financeiros.

Os procuradores mencionam ainda empresas, offshores e trusts em nome de Cunha no exterior. Para uma das offshores, o ex-presidente da Câmara declarou patrimônio maior do que o informado à Receita Federal.

Patrimônio de US$ 16 milhões

“O patrimônio declarado do denunciado Eduardo Cunha para a instituição financeira é de US$ 16 milhões, bem acima dos valores declarados no Brasil, de pouco mais de R$ 1,5 milhão, que aparece nas suas declarações de Imposto de Renda”, diz o MPF.

A partir das informações prestadas por Cunha às instituições financeiras, o MPF afirma que Cunha era “beneficial owner” – a pessoa que contribui para ou exercita controle sobre a conta. “Diversos documentos demonstram que Eduardo Cunha é o beneficiário efetivo e final (beneficial owner) de todos os ativos depositados na conta Triumph”.

Segundo os procuradores, o casamento de Danielle Ditz da Cunha – filha de Cunha – foi pago com dinheiro de corrupção. O casamento foi realizado no dia 25 de junho de 2011, no Hotel Copacabana Palace, no Rio de Janeiro.

“Dessa forma, embora a questão ainda mereça maior aprofundamento, resta claro que o dinheiro usado para o pagamento do casamento de Danielle Ditz da Cunha era proveniente de crimes contra a administração pública praticados pelo seu pai, o ex-deputado federal Eduardo Cunha”.
Veja a íntegra da nota de Cunha sobre a prisão:

"Tendo em vista o mandado de prisão preventiva decretado hoje pela 13ª vara federal do Paraná, tenho a declarar o que se segue:

Trata-se de uma decisão absurda, sem nenhuma motivação e utilizando-se dos argumentos de uma ação cautelar extinta pelo Supremo Tribunal Federal.

A referida ação cautelar do Supremo, que pedia minha prisão preventiva, foi extinta e o juiz, nos fundamentos da decretação de prisão, utiliza os fundamentos dessa ação cautelar, bem como de fatos atinentes à outros inquéritos que não estão sob sua jurisdição, não sendo ele juiz competente para deliberar.

Meus advogados tomarão as medidas cabíveis para enfrentar essa absurda decisão."

*Colaborou: Karine Garcia, da RPC.

 

 

Fonte:G1

Um dos maiores questinamentos que a sociedade faz é relacionado a pessoas que tem várias passagens pela polícia e consequentemente várias oportunidades de continuar errando e prejudicando todas as pessoas. Encontra-se recolhido ao xadrez da Delegacia de Polícia da cidade de Barão de Grajaú, o elemento de nome Francisco Paulo Silva Costa que foi preso no último domingo quanto tentava furtar uma motocicleta naquela cidade.

20161019 095723Firmino Vilarinho. (Imagem:Temístocles Filho/jc24horas)

Ao avaliar a vida pregressa desse elemento o Delegado Firmino Vilarinho constatou que ele responde quatro ações na comarca de Floriano, sendo uma por crime de roubo fato ocorrido no dia 19 de abril, no dia 19 de maio cometeu uma contravenção penal, em 29 de agosto foi preso sob a acusação de cometer um roubo majorado, no dia 13 de outubro foi flagrado com drogas sendo autuado por posse do produto todas neste ano de 2016 e no último dia 16 foi preso por tentativa de furto na cidade de Barão de Grajaú, tendo enfim a sua prisão preventiva decretada. No momento em que cometeu o mais recente delito Francisco Paulo da Silva Costa estava acompanhado de Eduardo Araujo Silva que também encontra-se preso em Barão de Grajaú.

 

Da redação

Nos bastidores, parlamentares apostam que uma eventual delação de Eduardo Cunha poderá prejudicar mais de uma centena de deputados que ele ajudou durante sua ascensão de líder do PMDB a presidente da Casa.

a4e63476f554ac63b9f76acbdd66bd2bEduardo Cunha (Foto: divulgação)

— Ele é um arquivo vivo — afirmou o líder do PR, Aelton de Freitas (MG).

Nos últimos cinco anos, o deputado cassado esteve em cargos de poder que lhe permitiram influenciar em escolhas de relatores de projetos e medidas provisórias estratégicas, além de CPIs. Segundo aliados e adversários, ele tem na memória informações sobre negociações feitas para a aprovação de propostas na Casa. Além disso, participou ativamente da articulação para a abertura do processo de impeachment.

Cunha se filiou ao PMDB em 2006 e, naquele ano, foi eleito para seu segundo mandato de deputado federal, quando aproximou-se do então líder do partido, Henrique Eduardo Alves (RN), a quem sucedeu. Isso permitiu que ele se tornasse figura frequente na residência oficial da Câmara, quando Michel Temer presidiu a Casa, e, depois, no Palácio do Jaburu, residência oficial do vice-presidente.

PRESENÇA EM RODAS DE CONVERSA

Os peemedebistas costumam repetir que Cunha não é amigo de Temer, mas não negam que, nos últimos anos, ele frequentou rodas de conversa importantes dos caciques da legenda. Outro aspecto que causa temor é o fato de Cunha ter atuado ativamente na arrecadação de recursos para campanhas de vários aliados, não só do PMDB, mas de partidos como PSC e PP. Ele próprio já admitiu que ajudava nos contatos com empresas para conseguir doações oficiais para o PMDB. Tudo isso na época em que Temer presidia a legenda.

— Cunha é temido porque é muito inteligente e correto em cumprir a palavra empenhada. Os que não têm coragem de falar a verdade que esperem — disse o deputado Wellington Roberto (PR-PB), um dos dez que votou contra a cassação de Cunha.

— Se ele tinha os esquemas que estão sendo demonstrados nas investigações, são coisas mais antigas. Quem foi parceiro dele nisso deve realmente temer. Mas acredito que era um clube dos sete anões. Onde tem mina de ouro alguém fica contando para todo mundo? — perguntou o deputado tucano Luiz Carlos Hauly, dizendo não acreditar que uma eventual delação possa respingar no presidente Michel Temer.

Fonte: O Globo

  • Cabedo
  • Ada Atten
  • Blossom
  • Espeto e Cia
  • Paraiba