Uma criança de apenas cinco anos é a principal testemunha da polícia no homicídio do próprio pai, Jailson dos Santos Sousa, 26 anos. Na madrugada de ontem (4), ele foi morto durante a madrugada enquanto dormia em sua casa, na Vila Nova, região do conjunto Pedro Balzi, zona Sudeste. Os dois filhos, de 2 e 5 anos, presenciaram o crime.

d4dbad931c041501d3e02f5f451ec4a5Local onde a vítima foi assassinada. Reprodução/PM.

Segundo o delegado Francisco Costa, o Baretta, coordenador da Delegacia de Homicídios, Joelson morava no local - uma área de invasão - havia apenas dois meses com a esposa e os dois filhos. A mulher havia saído de casa às 19h da noite anterior e estava em uma festa. Ela retornou para casa por volta das 7h, horas depois da morte do marido.

"As crianças é que viram tudo, quando os suspeitos entraram e deram os tiros. Ele foi atingido por disparos na cabeça e a criança maior, de cinco anos, foi quem relatou aos policiais sobre o som dos tiros que atingiram seu pai, como se fosse um som de um desenho animado", descreveu o coordenador.

Segundo a polícia, Joelson morreu enquanto dormia em uma rede, dentro de casa. O corpo foi encontrado pelos vizinhos, por volta das 6h, que acionaram a polícia. Os filhos da vítima brincavam próximo ao corpo quando os vizinhos chegaram.

"A população escutou tiros por volta de 3h da madrugada e pela manhã foram ver o que tinha acontecido. As crianças ficaram sozinhas com o corpo do pai até esse horário que os vizinhos foram lá. Eles ouviram ainda um barulho de moto após os disparos", disse o delegado.

Ele destacou que a polícia está investigando o caso, mas ainda não tem suspeitos. O Conselho Tutelar deverá ser acionado para acompanhar as crianças.

 

Fonte:cidadeverde.com

Maycon Humberto de Sousa, 28 anos, monitorado por tornozeleira eletrônica e suspeito de tráfico de drogas, saiu pela porta da frente da Central de Flagrantes na última sexta-feira (3) ao fingir ser outra pessoa. A delegada que coordena a delegacia, Alexandra Santos, informou que o caso será apurado e já há mandado de prisão preventiva contra ele.

e5c258a0fe5af7acb3c0f2951ab1b6e6Delegada Alexandra Santos. Fotos: Maria Romero/Cidadeverde.com.(Imagem:Divulgação)

Os policiais do 1º Batalhão de Polícia Militar conduziram Maycon e a namorada, Iasmym Silva, por tráfico de drogas, associação para o tráfico e posse irregular de arma de uso restrito da polícia. Com eles, foram encontradas duas pistolas, crack e maconha. O casal foi preso em uma boca de fumo na Vila Jerusalém.

De acordo com a delegada Alexandra, ao chegar à Central, um outro rapaz aguardava ser liberado. Ele é Alan Gomes da Silva Araújo, e foi conduzido por porte de arma de fogo de fabricação caseira.

"Eles estavam na triagem, e quando o Maycon viu que o outro rapaz ia ser liberado, o intimidou, mandando ele ficar calado. No momento em que chamaram o Alan para deixar a Central, ele se apresentou", explicou a delegada.

Alexandra destacou que já foi expedido mandado de prisão preventiva contra Maycon, pelos crimes de tráfico de entorpecentes, asssociação para o tráfico, posse irregular de arma de fogo e falsidade ideológica.

"O Alan, que teve seu caso encaminhado para a delegacia da área, deverá ser ouvido também sobre o caso. Ele só assumiu quem era depois que o Maycon deixou a Central, porque ficou com medo", disse. Depois de liberado, Maycon novamente foi abordado horas depois pelos homens do 1º BPM. Ele não foi reconduzido à Central de Flagrantes, porque no momento não havia conduta que caracterizasse crime.

A Divisão de Capturas (Dicap) está responsávelo pelo cumprimendo da prisão de Maycon. A Delegacia Geral vai apurar a responsabilidade dos policiais envolvidos no caso.

lícia Federal (PF) cumpriu na manhã desta segunda-feira (5), com apoio da Procuradoria Geral da República (PGR) e da Receita Federal, mandados de busca e apreensão na casa do ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) e ex-senador Vital do Rêgo (PMDB-PB) e do deputado federal Marco Maia (PT-RS), ex-presidente da Câmara. Os dois são investigados desde maio pela Operação Lava Jato.

maiavitalMarco Maia e Vital do Rêgo são investigados em inquérito da Lava Jato aberto em maio de 2016 (Foto: Reprodução/Internet)
Os mandados de busca e apreensão para coleta de provas foram autorizados pelo ministro Teori Zavascki, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF).
Vital e Maia são suspeitos de terem cobrado propinas de fornecedores da Petrobras para blindá-los e impedir suas convocações na CPI mista do Congresso Nacional que, em 2014, investigava as suspeitas de irregularidades na estatal do petróleo.
Em maio, Teori havia autorizado a abertura de um inquérito para investigar o envolvimento dos dois na Lava Jato com base na delação premiada do senador cassado Delcídio do Amaral (sem partido-MS).
No pedido de abertura de inquérito, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, alegou que os fatos narrados por Delcídio indicam crimes de concussão (crime praticado por funcionário público) ou corrupção passiva.
A assessoria de Vital do Rêgo informou ao G1, às 9h50, que o ministro do TCU só vai se posicionar oficialmente sobre os mandados de busca e apreensão no momento em que ele "entender" exatamente o que aconteceu.
O G1 entrou em contato com a assessoria de Marco Maia, mas até a última atualização desta reportagem ainda não havia obtido resposta.
À época em que teria cobrado uma espécie de "pedágio" de empreiteiros, Vital ainda ocupava uma cadeira no Senado e presidia, simultaneamente, duas CPIs criadas no Legislativo para investigar as denúncias contra a Petrobras.
Uma das comissões era formada exclusivamente por senadores e tinha como relator o ex-senador Gim Argello (PTB-DF), que foi condenado a 19 anos de prisão pela Lava Jato sob acusação de cobrar propina para barrar a convocação de empresários na CPI da Petrobras. Ele está preso desde abril em Curitiba.
A outra Comissão Parlamentar de Inquérito presidida por Vital do Rêgo era mista – composta por deputados e senadores – e tinha como relator o deputado Marco Maia. É justamente para esclarecer se os dirigentes dessa CPI também cobraram propina de empreiteiros que o STF autorizou os mandados de busca e apreensão cumpridos nesta segunda-feira.
Vital do Rêgo abandonou a vida parlamentar e passou a ocupar uma cadeira no TCU no final de 2014, enquanto ainda presidia as duas CPIs, em uma cota reservada a indicações do Senado. Ligado ao grupo político comandado pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), ele tinha mandato de senador até 2019.
Dos nove ministros do TCU, três são indicados pelo presidente da República, três pela Câmara dos Deputados e três pelo Senado. O Tribunal é um órgão de controle externo, auxiliar do Congresso Nacional.

 

Fonte:G1

Um trabalho de investigação feito pelas polícias civil e militar das cidades de Floriano e Barão de Grajaú tem o objetivo de localizar os dois elementos que usam uma moto brós, nas cores preta e branca que vem praticando uma série de assaltos nessas duas cidades e na maioria dos casos efetuando disparos durante as suas ações. 

20161130 064135Ten Cel Rubens Lopes. (Imagem:Temístocles Filho/jc24horas)

A polícia suspeita que os elementos que atiraram contra o veículo da senhora Ariadne na rua Desembargador Everton,Bandidos atiram contra veículo durante tentativa de assalto em Floriano são os mesmos que realizaram um assalto na cidade de Barão de Grajaú e em Floriano, além do assalto dispararam três vezes sendo que um dos disparos atingiu a dona de casa Marli Pereira da Silva que encontra-se internada no Hospital Regional Tibério Nunes.Bandidos atiram em vítima durante assalto em Floriano As instituições de segurança pública das duas cidades estão irmanadas no sentido de colocar por trás das grades esse dois elementos que vem tirando o sossego da população dos dois municípios. As informações foram passadas pelo Ten Cel Rubens Lopes ao fazer um resumo das ocorrências registradas nas últimas horas em nossa cidade.

 

Da redação

  • Paçoka
  • Ada Atten
  • Cabedo
  • Med Plan
  • Espeto e Cia