O site CIES Football Observatory elegeu os dez melhores atacantes da temporada 2015/2016 entre as cinco maiores ligas da Europa (Alemanha, Espanha, França, Inglaterra e Itália) e colocou dois brasileiros na lista.

5713f1df864f1(Foto: Reprodução/Twitter)

Em primeiro lugar está Lionel Messi, o argentino campeão espanhol pelo Barcelona, mas eliminado na Liga dos Campeões pelo Atlético de Madrid. Surpreendentemente, o segundo colocado é o sueco Ibrahimovic, do PSG, o melhor da Ligue 1 e outra vez vencedor do torneio.

Só então aparece Neymar, seguido pelo companheiro de ataque no Barcelona, Luis Suárez. Em quinto, outro argentino, Paulo Dybala, da Juventus, melhor da Serie A. Cristiano Ronaldo é apenas o sexto do ranking, mesmo com chance de ser campeão da Liga dos Campeões.

O melhor da Bundesliga é o brasileiro Raffael, do Borussia Monchengladbach, seguido por Thomas Muller, do Bayern de Munique. Lucas Pérez, do Deportivo La Coruña, e Higuaín, do Napoli, fecham o top-10. Embora tenha a liga mais rica, a Premier League não tem nenhum representante na lista.

 

Fonte: Lancenet

A confiança de Francisco Massaranduba na vitória contra Yancy Medeiros, no UFC 198, sábado, na Arena da Baixada, em Curitiba, se dá pela ótima fase do brasileiro, que soma cinco resultados positivos. O atleta da Evolução Thai não tem dúvidas do desfecho do confronto, válido pelo card preliminar do show, e garante que irá castigar o companheiro de treinos de Nick e Nate Diaz.

massa 3 300x250e

- Se não for nocautear ou finalizar, vou bater três rounds no meu adversário. Para ele ganhar de mim vai ter que treinar duas vezes mais do que eu. Porque eu estou aqui todo santo dia para treinar, treino três vezes por dia. Eu faço questão de fazer os três treinos duro e sair daqui só para ir para casa e descansar - destacou, em entrevista ao Combate.com.

Massaranduba, que treina em Curitiba há três anos, está ansioso para se apresentar diante de 45 mil torcedores, na primeira vez em que um estádio de futebol no Brasil hospeda uma edição do evento. O público é bem maior do que a população de Amarante, no Piauí, onde o atleta nasceu.

- A minha maior emoção será lutar para 45 mil pessoas, tenho certeza que isso não vai me espantar. Na hora em que eu vir aquela torcida lá, só vai me dar mais disposição para eu falar "Vim aqui para fazer isso, é o que eu gosto". Então, para mim vai ser muito gostoso lutar para milhares de pessoas. Eu tenho certeza que vai lotar o estádio e eu estou esperando isso. Para as pessoas que vão assistir à luta: eu não vou decepcionar, não vou decepcionar mesmo. Vou levar o meu país no topo.

Com o duelo marcado há cerca de três meses, Massaranduba apostou nos vídeos para analisar as características de Medeiros e promete estar preparado para o que o adversário lhe apresentar dentro do cage.

- Eu gosto sempre de assistir às lutas dos meus adversários. Gosto de dar para os meus amigos também olharem bastante. Ele é um lutador bem versátil. Joga em pé, joga no chão. Mas eu estou esperando. Eu treino com os melhores e tenho uns parceiros de treino aqui que, seja onde for, vão dar trabalho para qualquer um em qualquer lugar do mundo. Eu deixo para o meu professor, André Dida, se importar com o ponto forte do meu adversário, porque o meu ponto forte eu sei qual é.

 


Fonte: Com informações do SporTV Combate

Uma grade no setor térreo do Morumbi cedeu no momento da comemoração do gol do São Paulo e provocou a queda de vários torcedores no fosso do estádio - a uma altura de 2,5 metros. O duelo contra o Atlético-MG, válido pelas quartas de final da Taça Libertadores da América, foi imediatamente paralisado, aos 35 minutos do segundo tempo.

rib6244 lFtruDgAtendimento foi realizado no gramado do Morumbi (Foto: Marcos Ribolli)
Segundo o repórter Mauro Naves, da TV Globo, cerca de 15 torcedores ficaram feridos. O médico do São Paulo, José Sanchez, também se dirigiu ao local. Ao todo, oito pessoas foram levadas a três hospitais diferentes: São Luiz, Bandeirantes e Campo Limpo. O caso mais grave foi uma fratura no braço de um torcedor.
O torcedor Luis Fernando Aguilar estava no setor térreo no momento do acidente. Ele filmava o gol são-paulino quando também caiu no fosso do Morumbi
Os próprios jogadores do São Paulo tentaram acalmar as vítimas. Policiais ajudaram a carregar alguns feridos. Uma ambulância também se dirigiu ao gramado para prestar os primeiros socorros. Após cinco minutos, o árbitro Wilmar Roldán recomeçou a partida, enquanto médicos e policiais seguiram atendendo os feridos.
Uma segunda ambulância foi utilizada. Um menino, com um corte no rosto, recebeu cuidados médicos no ambulatório do Morumbi e depois se dirigiu ao hospital para fazer exames mais detalhados.
Após o apito final, o meia Michel Bastos, autor do gol da vitória tricolor por 1 a 0, foi ao local do acidente e deu sua camisa a um dos torcedores.

 

Fonte: G1

Michel Bastos. Até pouco tempo atrás, a torcida do São Paulo nem suportava ouvir esse nome. Mas o tempo e o futebol são especialistas em criar reviravoltas. Hoje, pergunte a algum são-paulino sobre Michel Bastos que você provavelmente ouvirá algo como "herói", "monstro", "iluminado". Tudo porque o camisa 7 decidiu o jogo em que ele poderia nem ter jogado. Foi com gol de Michel que o São Paulo bateu o valente Atlético-MG e saiu na frente no confronto das quartas de final da Libertadores: 1 a 0 e uma vantagem preciosa para o duelo de volta, quarta-feira que vem, no Independência.

 

5733eed76f93d

 

Para entender a dimensão do feito de Michel Bastos, e sua comemoração novamente enfurecida, é preciso voltar ao tempo em que ele tinha seu nome ligado a bebidas alcoólicas por torcedores organizados. Estava triste, pensando em mudar de ares. Mas ficou e para alegria dele e do são-paulino marcou nos últimos três jogos do time na Libertadores. Mais: entrou no segundo tempo contra o Galo, já que uma lesão na coxa direita o impediu de começar a partida. Iluminado... Detalhe: marcou após falta cobrada por Wesley, que foi seu substituto no jogo. Wesley também brilhou, assim como Mena, que também não jogaria por uma lesão e foi um guerreiro.

A lamentar na épica história de Michel Bastos, a queda de torcedores do São Paulo da arquibancada na comemoração do gol no segundo tempo. Um episódio lamentável, que desde já merece ser visto com preciosa atenção para que se identifique o que de fato ocasionou a tragédia. Ambulâncias prestaram o socorro e o jogo ficou paralisado por minutos. Voltou.
No mais, fora o ápice de Michel, São Paulo e Atlético-MG fizeram reviver o velho e ruim clichê de "jogo de Libertadores". Botinadas, confusão, cartões a rodo, muita reclamação, marcação, suor. E pouco futebol, uma ironia em se tratando de duas equipes brasileiras.

A tônica veio logo no primeiro lance da partida. Depois de Marcos Rocha atingir Kelvin no rosto, uma confusão generalizada se instaurou. Resultado: cartão amarelo para Ganso, Thiago Mendes e Rafael Carioca. Rocha, do início do tumulto, passou ileso. Os cartões, a partir daí, não cessaram. Robinho, Leandro Donizete, Júnior Urso, Leonardo Silva, Wesley... O Galo ficou no prejuízo porque perdeu Rafael Carioca e Júnior Urso para o jogo de volta - estavam pendurados.

Denis e Victor, que saiu mal no gol são-paulino, podem agradecer à falta de artilharia dos atacantes. Os argentinos Pratto e Calleri, assim como Ganso, Urso, concluíram muito pouco. Mas as quem tem de comemorar mesmo é o torcedor do São Paulo, que fez uma festa linda, manchada apenas pela trágica queda, é bom lembrar.

O jogo marcou o recorde de público no ano no Brasil, com 61.297. Semana que vem teremos mais 90 minutos no Horto, estádio menor, mas de pressão igual. Ao Tricolor, basta um empate ou até perder por um gol desde que marque um. Se o Galo repetir o placar da ida, a decisão será nos pênaltis. Qualquer outro, avança os mineiros.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 1 x 0 ATLÉTICO-MG

Local: estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data-Hora: 11/5/2016 - 21h45 (horário de Brasília)
Árbitro: Wilson Roldán (COL)
Auxiliares: Eduardo Díaz (COL) e Humberto Clavijo (COL)
Público total/Renda: 61.297 / R$ 4.137.596,00
Cartões amarelos: Ganso, Thiago Mendes e Wesley, (SAO), Rafael Carioca, Leonardo Silva, Robinho, Donizete, Júnior Urso, Marcos Rocha e Patric (CAM)
Gol: Michel Bastos 34' 2ºT (1-0)

SÃO PAULO: Denis, Bruno, Maicon (Lugano 28' 2ºT), Rodrigo Caio e Mena; Hudson, Thiago Mendes (Wilder 23' 2ºT), Wesley, Ganso e Kelvin (Michel Bastos 18' 2ºT); Calleri. Técnico: Edgardo Bauza

ATLÉTICO-MG: Victor, Marcos Rocha, Léo Silva, Erazo e Douglas Santos; Rafael Carioca, Leandro Donizete, Júnior Urso e Patric (Clayton 42' 2ºT); Robinho (Hyuri 38' 1ºT) e Lucas Pratto. Técnico: Diego Aguirre

 

Fonte: Lancenet