• chopp sabora
  • Oticas Floriano
  • Garoto
  • Dario PAX
  • Jorge
  • Paraiba
  • Construforte
  • Posto Aliança
  • Oticas Floriano
  • Construforte
  • Garoto
  • chopp sabora
  • Dario PAX
  • Posto Aliança
  • Paraiba
  • Jorge

O pré-candidato do PDT à Presidência da República, Ciro Gomes, está concentrando seus esforços em atrair o apoio do PSD e da União Brasil. Isolado e estagnado nas pesquisas de intenção de voto, o presidenciável conta com a musculatura financeira e a capilaridade das duas legendas para alavancar sua empreitada.

90c9d661e83db824fbb8f462f6dfb537Foto: Yala Sena/ Cidade Verde

Ciro tem dito que prefere os dois partidos porque, quando as tratativas de iniciaram, nenhum dos dois tinha candidatura própria. O presidente da União, Luciano Bivar, só colocou o seu nome no páreo em 14 de abril. Os dois, no entanto, estão entre aqueles com direito às maiores fatias de fundo eleitoral e tempo de televisão -o PSD tem a quarta maior bancada eleita em 2018.

Na última sexta-feira (22), Ciro foi a São Paulo apenas para jantar com o presidente do PSD, Gilberto Kassab. Na União, mantém conversas frequentes com Bivar e com o ex-prefeito de Salvador ACM Neto.

Ciro espera crescer nas pesquisas até julho, quando acontecem as convenções partidárias. Mesmo sem o apoio formal, a liberação dos diretórios já ajudaria o pedetista. Ele poderia receber o endosso dos prefeitos do Rio de Janeiro e Belo Horizonte, Eduardo Paes e Alexandre Kalil, que já já manifestaram simpatia pela sua candidatura e têm influência e dois colégios eleitorais bastante populosos.

Fonte: Folhapress