• Garoto
  • Farmaduty
  • Oticas Floriano
  • Dario PAX
  • Posto Aliança
  • Garoto
  • Dario PAX
  • Posto Aliança
  • Oticas Floriano
  • Farmaduty

Subiu para 14 o número de mortos após o incêndio que atingiu o hospital privado Badim, no Maracanã, zona norte do Rio de Janeiro, na quinta-feira (12). Áurea Martins de Oliveira, 87, estava internada no Hospital Samaritano, em Botafogo, na zona sul, e morreu na madrugada desta terça-feira (17). Uma segunda mulher, cuja identidade não foi divulgada até a conclusão desta reportagem, também morreu. Ela tinha 98 anos e estava internada no hospital Israelita Albert Sabin.

7161e6cfcba3b8f4b809297324aebaa9Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

A maioria das 14 vítimas morreu por inalação de fumaça, mas há casos em que as mortes foram decorrentes do desligamento de aparelhos com a queda da energia elétrica, segundo a diretora de perícia do IML (Instituto Médico Legal), Gabriela Graça. As idades das vítimas registradas até agora variam de 66 a 98 anos).

A assessoria do hospital Badim informou que 50 pacientes transferidos continuam internados em outros hospitais, assim como nove colaboradores da entidade e familiares.

O prédio atingido foi o mais antigo do hospital, inaugurado em 2000. Havia ali uma recepção, administração, lanchonete, uma unidade intensiva de curta permanência, CTI (Centro de Tratamento Intensivo), unidades de internação (em um dos andares desativada), 14 leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva), uma Central de Material e Esterilização (CME) e uma cobertura que armazenava equipamentos.

Já foi confirmado que o incêndio começou no gerador de energia que ficava no subsolo do hospital, mas, segundo a Polícia Civil, as investigações para apurar as circunstâncias do fogo e das 13 mortes ocorridas até agora seguem em andamento.

Funcionários da equipe de manutenção do Badim foram ouvidos nesta segunda, e outros depoimentos de colaboradores estão previstos para esta terça.

O prédio também está passando por perícia desde a última sexta (13). Agentes voltaram ao local nesta segunda para coletar dados complementares e, nesta terça, está prevista mais uma análise no edifício e no gerador, com a presença de técnicos da empresa responsável pelo equipamento.

Segundo o delegado Roberto Ramos, responsável pela investigação, ainda é prematuro afirmar que houve negligência do hospital em relação à manutenção do aparelho. "Sabemos que o problema foi no gerador. Agora vamos fazer o estudo mais aprofundado para saber da manutenção e como se deu esse problema que gerou o incêndio", disse um dia após a tragédia.

Imagens de câmeras de vigilância interna do hospital divulgadas pelo programa Fantástico mostram que inicialmente funcionários tentaram apagar o fogo e que a remoção de pacientes do prédio começou ao menos oito minutos após a equipe perceber o incêndio. Não é possível identificar a presença ou a ajuda de brigadistas.

Questionado, o hospital declarou em nota que o plano de socorro usado foi o Plano de Ação e Emergência (PAE).

"O hospital conta com 30 brigadistas de incêndio. Os dois prédios contam, juntos, com cinco saídas de emergência. O prédio atingido possuía dois geradores e as manutenções preventiva e corretiva eram feitas dentro dos prazos exigidos pelos órgãos competentes. Todas as licenças necessárias para o pleno funcionamento do hospital estavam em dia."

QUEM SÃO AS 14 VÍTIMAS DO INCÊNDIO

1. Alayde Henrique Barbieri, 96
2. Ana Almeida do Nascimento, 95
3. Ana Irene Freitas, 83
4. Berta Gonçalves Berreiro Sousa, 93
5. Darcy da Rocha Dias, 88
6. José Costa Andrade, 79
7. Ivone Cardoso, 75
8. Luzia dos Santos Melo, 88
9. Maria Alice Teixeira da Costa, 75
10. Marlene Menezes Fraga, 85
11. Virgílio Claudino da Silva, 66
12. Yolandina Gaspar (idade não divulgada)
13. Áurea Martins de Oliveira, 87
14. Mulher cujo nome não foi divulgado, 98

 

Fonte: Folhapress

O corpo de um homem identificado como Jordano da Silva Sá, 43 anos, foi achado morto dentro da própria casa no bairro São João, na zona Leste de Teresina. Segundo o delegado Jarbas Lima, do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), a vítima pode ter vindo a óbito em consequência de uma agressão física sofrida no último domingo (15).

776f2f335b3ce102b32741b76ea5dcdfFoto: Célio Roberto/ TV Cidade Verde

"Familiares contam que ele estava sentado próximo de casa e um elemento desferiu uma paulada nas costelas. Ele foi pra casa relatando dores, mas se recusou a ser levado ao hospital. Hoje foi encontrado morto dentro de casa", explica o delegado.
O DHPP foi acionado por volta das 7h desta terça-feira (17). Jarbas Lima acrescenta que o suspeito de agredir fisicamente a vítima no fim de semana de semana já foi identificado.

"A perícia de local não visualizou marca. Externamente não tinha marca. Ele pode ter morrido em consequência da agressão, o que configuraria uma lesão seguida de morte. O elemento suspeito de agredí-lo já foi identificado e mora na mesma rua", conta o delegado acrescentando que a vítima tinha histórico de dependência química.

 

Fonte:cidadeverde.com

Após quase 24 horas submerso na Lagoa do Portinho, em Parnaíba, no litoral do Piauí, o corpo de Maria Luiza, 21 anos, foi encontrado por volta das 16h desta segunda-feira (16). A jovem se afogou após cair de um jet ski com quem andava com mais dois amigos. Ela não sabia nadar e não usava equipamento de segurança.

jovemjetsikisssFoto: Reprodução Click Parnaíba

"A nossa equipe de busca e salvamento foi enviada desde ontem (15) quando recebemos o chamado por volta de 19h30, ela foi prontamente para o local. Mas ontem não tinha condições de navegabilidade e muito escuro. Decidimos retomar as 6h e o corpo foi encontrado por volta das 16h", contou o capitão dos Portos do Piauí, Benjamin Dante.

Trabalharam no resgate do corpo agentes do Corpo de Bombeiros de Parnaíba e da Capitania dos Portos do Piauí.

O caso ocorreu na noite deste domingo (15). O jet ski era conduzido por um rapaz, o único que usava colete salva-vidas, e teria fugido após o acidente. Segundo o major Rivelino Moura, comandante do Corpo de Bombeiros de Parnaíba, a segunda jovem escapou com vida após ser socorrida por um banhista.

A Marinha do Brasil, por intermédio da Capitania dos Portos do Piauí, abriu inquérito administrativo para apurar as causas do acidente.

 

Fonte:cidadeverde.com

A Polícia Civil investiga uma suposta adoção ilegal de um bebê de 15 dias de vida, após uma denúncia feita na tarde desta segunda-feira (16).

A mãe da criança foi levada à Central de Flagrantes e denunciou que foi mantida em cárcere privado e que sua filha iria para adoção de forma ilegal.

fd4b9f280f91813c1054b5a6aa5e8b6dFoto: Roberta Aline/Cidadeverde.com


Policiais do 17° Batalhão da Polícia Militar foram acionados pela Central de Operações Policiais Militares através de denúncia anônima. A ocorrência foi no Portal da Alegria, bairro Porto Alegre, zona Sul de Teresina

A mãe Nairi de Sousa Cabral, 25 anos, conversou com o Cidadeverde.com e disse que uma mãe de santo prometeu que iria cuidar dela e da filha. "Descobri que minha filha iria ser entregue para um casal e que eles estavam usando documentação falsa sem a minha permissão", declarou.

O tenente Israel Machado informou que chegou até a residência e encontrou Nairi sem a filha. A mãe de santo proprietária da residência informou que o bebê estava em outra casa, no bairro Santa Luzia, para fazer o teste do pezinho.

"Eu enviei uma outra guarnição e constatamos que o bebê estava na residência e trouxemos o casal e o bebê para o Central de Flagrantes", relatou o policial militar.

Lucivânia Vidal, delegada que acompanha o caso, acionou o conselho tutelar da região e pediu que averiguasse a documentação do bebê para identificar se os documentos apreendidos pela polícia são verdadeiros ou falsos.

A mãe de santo, o casal, a mãe e a criança estão na central prestando depoimento. A polícia, por conta da investigação, ainda não divulgou o nome dos envolvidos.

470633289ec3a32d8e85670215c7a94d
O advogado Ulisses Neto, que acompanha a proprietária da residência, nega o fato e disse que tudo será esclarecido. No entanto, não deu detalhes de como sua cliente teria conhecido a mãe do bebê.

 

Fonte:cidadeverde.com

  • Rastek
  • Ada Atten
  • Cabedo
  • Blossom
  • Espeto e Cia
  • Paraiba