a575fea6d81196af7111aacc1d62d226Foto: Ascom SSP-PI                                                                                                         Foto ilustrativa

Por Graciane Araújo

O corpo de um homem foi encontrado em um terreno baldio na Rua Doutora Maria Carvalho Santos, bairro Planalto Ininga, na zona Leste de Teresina. A vítima é do sexo masculino e tinha marcas de paulada na cabeça, de acordo com 5º Batalhão de Polícia Militar. 

O corpo foi localizado, no início da tarde desta terça-feira (27), por pessoas que passavam pelo local e acionaram o 5º BPM. Informações preliminares dão conta que a vítima seria morador em situação de rua. 

Ao lado do corpo foi encontrado um pedaço de madeira que pode ter sido usado no crime. A vítima não teve a identidade confirmada e foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IMlL). 

O caso será investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). 

2f953df16fff5ec2abc6f00bb6a72d35Foto: Reprodução

Por Adriana Magalhães

Um gerente de academia de Timon, de 27 anos, que não teve sua identidade revelada pela polícia, foi preso nesta terça-feira (27), em Timon (MA), usando duas tornozeleiras eletrônicas. A prisão aconteceu no bairro Leonel Brizola no início da manhã.  Além de trabalhar na academia, ela ainda cursa Ciências Contábeis na Universidade Estadual do Maranhão.

Ele foi preso para cumprir uma condenação por roubo majorado, de 15 anos de detenção pela comarca de Timon. O crime de roubo é considerado majorado quando é cometido com violência ou grave ameaça à vítima, quando há a participação de duas ou mais pessoas no crime ou quando as vítimas são ameaçadas com uso de arma.

O preso é suspeito de roubar chácaras nas cidades de Teresina (PI) e Timon (MA) na companhia de outros dois homens. O grupo é conhecido por utilizar armas de fogo e empregar violência nos crimes.

As duas tornozeleiras utilizadas pelo preso são referentes aos crimes de roubo cometido por ele, nas cidades de Teresina (PI) e Timon (MA), tanto que uma pertence à Justiça do Maranhão e o outro a do Piauí.

A prisão foi efetuada pela Divisão de Captura e Inteligência (DICAP) do 2º Distrito de Polícia de Timon. O delegado Cláudio Mendes, disse que em 20 anos de atuação na Polícia Civil não tinha visto um indivíduo usando duas tornozeleiras.

op 1Foto: Ascom / SSP-PI

Por Adriana Magalhães 

O esquema de compra e distribuição de droga investigado pela Operação "Draco 96 - Rota Caipira" envolvia o trabalho de duas famílias que atuavam no Mato Grosso, São Paulo e Piauí. 

Na manhã desta terça-feira (27), a polícia deu início a operação para cumpri 18 mandados de prisão temporária e busca e apreensão contra investigados por organização criminosa e lavagem de dinheiro do tráfico de drogas.

No Piauí e em São Paulo, o esquema era liderado por Laércio Batista, que é natural de Campo Maior, e sua esposa. Laércio foi preso no dia cinco de outubro de 2023 em São Paulo, o mandado foi cumprido no sistema prisional. A esposa do investigado foi presa hoje na mesma cidade. Já no Mato Groso do Sul, a polícia aponta que um pai e seus dois filhos participavam do esquema. No Piauí, pessoas ligadas a Laércio estão envolvidas no esquema criminoso. 

O núcleo do Mato Grosso era o operador financeiro do tráfico. A droga era enviada a São Paulo e de lá destribuída para estados do Nordeste, como o Piauí. 

Na Rota Caipira, a droga entre no Brasil por estados da região Centro-Oeste e sobe para o Sudeste do país, de onde é enviada para a Europa, por meio do Porto de Santos, e para o Nordeste do país, onde é consumida ou enviada para a Europa, pelos portos nordestinos.

"O esquema era comandado por grupos familiares. No Mato Grosso do Sul, um pai, um filho e uma filha gerenciavam o núcleo financeiro da organização. Laércio é natural de Campo Maior, mas desde que fugiu do Piauí comandava o núcleo de Campo Maior a partir de lá. Hoje a esposa dele foi presa e ela tem uma participação muito importante na organização, com ela apreendemos muito material que vai ajudar nessa e em outras operações", disse o delegado Anchieta Nery, da Polícia Civil do Piauí. 

Para a polícia, as prisões de hoje encerram a investigação, mas não está descartada a realização de novas investigações a partir das informações apreendidas agora. 

"Essa investigação está encerrada. Estamos desde outubro debruçados sobre os dados aprendidos com Laércio", disse o delegado Charles Pessoa, do Draco. 

"O final dessa investigação não isenta as pessoas que atuam no tráfico de drogas em Campo Maior. Se houver mais informações no material coletado hoje faremos novas prisões e operações", finalizou Anchieta Nery.

Dos 18 mandados de prisão expedidos para a operação, 15 foram cumpridos. Dois alvos do Piauí estão foragidos. Um alvo morreu na semana passada, na cidade de Campo Maior, em confronto com a polícia.

De acordo com a polícia, os mandados judiciais foram realizados nos seguintes municípios:

Campo Maior: 6 mandados;
Teresina: 2 mandados;
Altos: 1 mandado;
Coivaras: 1 mandado;
Piripiri: 1 mandado;
Corumbá (MS): 3 mandados;
Carapicuíba (SP): 2 mandados;
Osasco (SP): 1 mandado;
1 no sistema penitenciário do Estado de São Paulo. 

A investigação foi conduzida pelo Departamento de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco), com assessoramento da Diretoria de Inteligência da Polícia Civil (DIPC) e realizada pela Superintendência de Operações Integradas (SOI) e Polícia Civil do Piauí.  As buscas e prisões foram cumpridas com apoio da Polícia Civil de São Paulo e Polícia Civil do Mato Grosso do Sul.

Por Rebeca Lima (Com informações da SSP-PI)

A Secretaria de Segurança Pública do Piauí deflagrou, na manhã desta terça-feira (27), a operação “Draco 96 - Rota Caipira”, nos estados do Piauí, São Paulo e Mato Grosso do Sul. Ao todo, foram cumpridos 18 mandados de prisão temporária e busca e apreensão contra investigados por constituição de organização criminosa e lavagem de dinheiro.

op 1

De acordo com a polícia, os mandados judiciais foram realizados nos seguintes municípios:

Campo Maior: 6 mandados;
Teresina: 2 mandados;
Altos: 1 mandado;
Coivaras: 1 mandado;
Piripiri: 1 mandado;
Corumbá (MS): 3 mandados;
Carapicuíba (SP): 2 mandados;
Osasco (SP): 1 mandado;
1 no sistema penitenciário do Estado de São Paulo.
Segundo a polícia, durante a ação, foram presos líderes e operadores financeiros do esquema, apreendidos valores e bens obtidos como proveito do crime, e documentos relacionados aos fatos investigados.

A investigação foi conduzida pelo Departamento de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco), com assessoramento da Diretoria de Inteligência da Polícia Civil (DIPC) e realizada pela Superintendência de Operações Integradas (SOI) e Polícia Civil do Piauí. As buscas e prisões foram cumpridas com apoio da Polícia Civil de São Paulo e Polícia Civil do Mato Grosso do Sul.

Entenda o caso

Após a prisão do piauiense Laércio Batista, no interior do estado de São Paulo, a Polícia Civil do Piauí pôde identificar todo um núcleo responsável por entrada e circulação de drogas no país, pela via popularmente conhecida como “rota caipira”.

Laércio foi preso em outubro do ano passado, responde a vários processos por crimes violentos e, no sistema prisional, passou a integrar uma facção criminosa com origem no estado de São Paulo.

Ao conseguir localizar e prender esse foragido no estado de São Paulo, a Polícia Civil obteve informações relevantes sobre a estrutura financeira da organização criminosa.

Essa engenharia financeira permitia o pagamento de drogas que entravam no país pela fronteira com a Bolívia, bem como a operação logística necessária para transportar essa droga ao sudeste do país e estados nordestinos de destino final.

 

Fonte:cidadeverde.com