• Dario PAX
  • Casa dos frios
  • Garoto
  • Posto Aliança
  • Oticas Floriano
  • Farmaduty
  • Oticas Floriano
  • Posto Aliança
  • Farmaduty
  • Casa dos frios
  • Dario PAX
  • Garoto

A Polícia Civil e o Ministério Público do Rio de Janeiro cumpriram nesta quinta-feira (3), cinco mandados de prisão da Operação Submersus, um desdobramento das investigações dos assassinatos da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes, mortos em março do ano passado. Um dos mandados foi cumprido contra o policial reformado Ronnie Lessa, acusado de participar dos homicídios, que já estava preso na Penitenciária Federal de Porto Velho.

bfc42eccf4b48475ae23358e2f70fcf9Foto: Renan Olaz/Câmara Municipal do Rio

Os outros alvos, segundo a Agência Brasil, foram a mulher de Lessa, Elaine Lessa; o irmão de Elaine e cunhado dele, Bruno Figueiredo; Márcio Montavano, conhecido como Márcio Gordo; e Josinaldo Lucas Freitas, o Djaca. Eles são acusados de obstrução de Justiça, porte de arma e associação criminosa.


Segundo a Polícia Civil, o grupo teria ocultado armas usadas pelo grupo de Lessa, entre elas a submetralhadora HK MP5, que teria sido usada para matar Marielle e Anderson.

De acordo com as investigações da Delegacia de Homicídios (DH) da capital fluminense, em março deste ano, dois dias depois das prisões de Lessa e do ex-policial Élcio de Queiroz, outro acusado de matar Marielle e Anderson, o grupo teria jogado as armas no mar.

Sob o comando de Elaine, conforme a polícia, o armamento foi descartado próximo às Ilhas Tijucas, na altura da Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio.

Para a DH, Montavano tirou uma caixa com armas de um apartamento no bairro da Pechincha, na zona oeste do Rio, levou-a até Freitas, que havia contratado o serviço de um taxista para transportá-la até o quebra-mar, de onde saiu o barco que levou o material até o oceano.

Já Figueiredo é acusado de ajudar Montavano na execução do plano Com o auxílio de mergulhadores do Corpo de Bombeiros e da Marinha, foram realizadas buscas no local, mas nada foi encontrado. A profundidade e as águas muito turvas dificultaram o trabalho, segundo a Polícia Civil. Todos os acusados - à exceção de Lessa - foram levados para a DH.

Fonte: Estadão Conteúdo

O advogado da enfermeira Vanessa Carvalho, 27 anos, que morreu ao ser atropelada pelo namorado da amiga após uma festa de casamento realizada no último sábado (30) em Teresina, afirmou ao Cidadeverde.com que informações testemunhais confirmam que a intenção de Pablo era de matar a jovem.

1eaf3d4f7d3c32011c96a94208adc8d8Foto: Reprodução Facebook Vanessa Carvalho

Amigos e familiares de Vanessa e Anuxa Kelly, namorada de Pablo Henrique Campos, estão prestando depoimento ao Núcleo de Feminicídio do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP). Anuxa também foi atropelada, mas resistiu aos ferimentos e recebeu alta nessa segunda-feira (1) após três dias internada no Hospital de Urgência de Teresina.
"Estão surgindo elementos que confirmam nossa tese de que na realidade ele intentou contra a vida das duas, tanto contra Anuxa, como Vanessa", afirma o advogado Leonardo Queiróz. O inquérito que investiga o caso será concluído próxima semana e a defesa espera que Pablo seja indiciado por feminicídio e feminícidio tentado.

O advogado defende que Pablo tinha intenção de matar Vanessa porque via nela uma pessoa que atrapalhava o "relacionamento abusivo" entre ele e Anuxa. Segundo relatos de pessoas próximas, Anuxa tinha Vanessa como uma amiga confidente e recorria à ela quando discutia com o companheiro.
"Ele [Pablo] tinha a Vanessa como uma pessoa que atrapalhava ele ter o controle completo da companheira. Por isso ele nutria um sentimento de desafeto pela Vanessa. Sempre que havia uma discussão, Anuxa recorria à amizade com Vanessa. A família da Vanessa havia percebido que o relacionamento entre os dois era abusivo e pedia à Vanessa para não se aproximar tanto de Anuxa por medo",conta o advogado Leonardo.

Ontem o celular de Vanessa foi entregue ao Núcleo de Feminícidio. A expectativa é que conversas entre a enfermeira e a amiga Anuxa sejam analisadas.
"Esperamos que a justiça seja feita e nosso entendimento é que a conduta praticada por Pablo se adequa ao feminicídio", disse o advogado.

 

Fonte:cidadeverde.com

Nossa reportagem recebeu imagem enviada pelo nosso colaborador Felipe, onde mostra um acidente entre um ônibus da Universidade Federal do Piauí e uma motocicleta, fato ocorrido na Avenida Calisto Lobo nas imediações do bairro Tiberão.

WhatsApp Image 2019 10 02 at 14.34.08Acidente entre ônibus e moto. (Imagem:Divulgação)

Nossa reportagem não teve informações sobre a identidade dos condutores dos veículos, mas sabemos que apesar do susto, o motoqueiro não sofreu ferimentos. Neste momento nós estamos em Teresina, tentamos obter mais informações por parte da Polícia Rodoviária Federal mas ainda não  tivemos retorno.

 

Da redação

A dupla Amorim Neto e Guto do Catumbi que foi presa na manhã de ontem na cidade de Francisco Ayres após assaltar um estabelecimento comercial naquela cidade e foi identificada como sendo a dupla que tomou de assalto a moto da Professora Edilene Reis, foi identificada como sendo o autor do assalto contra o Professor Valter Lopes.

WhatsApp Image 2019 10 02 at 12.12.13Valter Lopes. (Imagem:Temístocles Filho/jc24horas)

Os elementos levaram a moto, dinheiro e documentos da vítima. Na manhã de hoje(02) ele conseguiu recuperar os documentos, mas até o momento não sabe o destino do seu meio de transporte. Nossa reportagem conversou com ele na Central de Flagrantes. Confira a entrevista.

Da redação

  • Rastek
  • Cabedo
  • Ada Atten
  • Espeto e Cia
  • Paraiba