• Oticas Floriano
  • Garoto
  • veloso
  • Farmaduty
  • Casa dos frios
  • Dario PAX
  • Posto Aliança
  • Farmaduty
  • Garoto
  • Oticas Floriano
  • Dario PAX
  • Posto Aliança
  • Casa dos frios
  • veloso

A Polícia Militar em Parnaíba prendeu, no início da noite desta segunda-feira (02), um candidato a vereador, identificado como Dênis Jonathan dos Santos de Araújo, 32 anos, com mais de 70 kg de droga, divididos entre maconha e crack.De acordo com o coronel Adriano de Lucena, comandante da PM no município, a prisão aconteceu após os agentes abordarem o veículo, modelo Voyage de cor preta e placa NIO 1800 de Buriti dos Lopes, conduzido por Dênis, onde foram encontrados cerca de 10 kg de maconha. “O serviço reservado aqui em Parnaíba tem sempre o trabalho de levantamento de informações e de tudo que está acontecendo de diferente na cidade, então eles observaram esse veículo que estava em uma situação meio estranha e dentro do veículo encontraram cerca de 10 kg de droga, aproximadamente”, disse.

divulgacaopmCNH de Dênis Jonathan dos Santos de Araújo. (Imagem:Divulgação/PM)

O coronel informou que a Polícia fez a reconstituição do trajeto percorrido pelo veículo e chegou até uma residência em Parnaíba onde foi encontrado o restante do material apreendido. “Nesse levantamento chegaram até Buriti dos Lopes, voltaram e chegaram a uma casa em Parnaíba que estava na posse no suspeito, não sei lhe dizer se [a residência] está no nome dele, se era alugada por ele, mas estava sob a posse dele, ele tinha acesso a casa. Nessa residência foi encontrada mais quantidade de droga, maconha e crack”, narrou.

divulgacaopm D6zCkZoMaterial apreendido. (Imagem:Divulgação/PM)
Ao todo foram encontrados 67 kg de maconha, 9,5 kg de crack, três balanças de precisão, celulares e um relógio. O candidato a vereador foi encaminhado para a Central de Flagrantes, juntamente com o material apreendido, onde deverá ser autuado em flagrante por tráfico de drogas.

 

Fonte:GP1

O Tribunal de Justiça de Rondônia (TJ-RO) condenou a 130 anos de prisão o médico Pedro Augusto Ramos da Silva, de 58 anos, por ter abusado sexualmente de 15 pacientes durante exames ginecológicos em Ariquemes (RO), na região do Vale do Jamari. A sentença foi julgada em 1ª instância e cabe recurso, porém o acusado deve permanecer preso em regime fechado. O G1 tentou entrar em contato com a defesa para saber se entrará com o recurso de apelação, mas não obteve retorno.

0138e48917fac7732478888aaf7ea7e2Médico pega 130 anos por abusar de 15 pacientes.(Imagem:Divulgação)

De acordo com o TJ-RO, o médico que está preso desde março de 2015 na Casa de Detenção de Ariquemes teve três pedidos de habeas corpus e um de conversão do regime prisional para prisão domiciliar negado. Pedro Augusto foi denunciado por 19 casos de estupro e foi absolvido em quatro deles, por falta de provas.

Nos atos de abusos sexuais contra as pacientes o médico masturbava as mulheres durante os exames ginecológicos, segundo a justiça. Os casos ocorreram entre o dia 12 de setembro de 2014 a 25 de fevereiro de 2015. Os abusos aconteceram em um hospital particular, no posto de saúde municipal e no hospital regional do município.

Com 77 páginas, a sentença descreve com extremo detalhe cada uma das ações cometidas pelo acusado. Em um dos casos, a vítima foi ao médico para uma avaliação de rotina do dispositivo intrauterino (DIU), mas acabou sendo abusada.

"Aproveitando-se da confiança profissional, o réu passou a acariciar e apertar os mamilos da vítima. Bem como introduzia os dedos na vagina da paciente [...]. Ao se levantar da maca ginecológica, percebeu que o zíper da calça do acusado estava aberto [...]", descreve o processo.

Em outro caso, o ginecologista praticou violência sexual durante o tratamento de um aborto espontâneo em uma paciente. "O réu atendeu a vítima nos fundos do hospital, onde não havia movimento de pessoas. Posteriormente, ele determinou que a paciente se despisse e deitasse na maca, quando se posicionou entre as pernas da vítima e a masturbou por trinta minutos, mesmo com a paciente pedindo para encerrar o ato", informa a sentença.

Ainda de acordo com processo, o médico chegou a repetir o mesmo abuso em uma paciente que estava grávida.

A juíza da 2ª Vara Criminal de Ariquemes, Cláudia Mara da Silva, relatou que os fatos são relevantes, tendo em vista que o réu se aproveitou de ser médico ginecologista para praticar os abusos. Para a magistrada, as consequências nestes crimes são sempre graves, pois deixam traumas emocionais e psicológicos nas vítimas, quando estavam à procura de um tratamento médico.

Na decisão, a juíza fixou a pena base de oito anos de reclusão. Porém como o réu possui antecedentes criminais com condenação nas comarcas de Feijó (AC) e Porto dos Gaúchos (MT), foi reconhecida a agravante da reincidência, a qual fixou a pena em oito anos e oito meses para cada crime de estupro. Totalizando 130 anos de prisão em regime fechado. Por fim, o TJ-RO determinou a comunicação com o judiciário de Feijó, para que possa cumprir a sentença no presídio do município.

Fonte: G1

A 14ª Promotoria de Justiça de Teresina, do Núcleo do Tribunal do Júri, ofereceu nesta terça-feira (02) a denúncia contra Moaci Moura da Silva Júnior, motorista do Corolla envolvido no acidente que matou integrantes do coletivo Salve Rainha, no dia 26 de junho. A denúncia foi assinada pelo promotor de Justiça Ubiraci Rocha, que protocolizou na manhã de hoje, um requerimento de prisão preventiva.

moaci moura 364813Moaci Moura.(Imagem: Divulgação)
O promotor ressaltou que Moaci Moura fugiu do local do acidente sem prestar ou solicitar socorro para as vítimas, mesmo em situação em que não havia risco à sua integridade física. Dessa forma, o representante do Ministério Público entendeu que os elementos mostram que o acusado agiu com dolo eventual, praticando os crimes de duplo homicídio, lesão corporal de natureza grave e evasão do local do acidente.

Ubiraci Rocha pediu ao Poder Judiciário a aceitação da denúncia, determinando que Moaci Moura da Silva Júnior seja citado e responda à acusação, por escrito, no prazo de dez dias. Em seguida, devem ser ouvidas as testemunhas e interrogado o réu, atos que culminarão na decisão de pronúncia, para posterior submissão a julgamento pelo Tribunal Popular do Júri.

 

Fonte:GP1

Uma estudante de 18 anos morreu ao cair de um ônibus no Bairro Parque Tabapuá em Caucaia, Região Metropolitana de Fortaleza, na noite desta segunda-feira (1º). Jessika de Sousa Almeida cursava engenharia civil em uma faculdade particular de Fortaleza, pela manhã, por meio do Fies, e fazia curso técnico em edificações no turno da noite. A família conta que ela voltava para casa depois da aula quando houve o acidente e que a porta do ônibus permanceu aberta durante a viagem. A empresa disse que está averiguando o que aconteceu.

Segundo a polícia, a jovem se desequilibrou e caiu quando o veículo fez uma curva com a porta aberta. Já testemunhas que moram próximo ao local do acidente disseram que o motorista deslocava o veículo da pista marginal para a pista principal da via, e que o motorista contou que a porta estava com defeito.

a74b1d30731edbe8a80017b647afc671Estudante morre ao cair de ônibus em Fortaleza.(Imagem:Divulgação)

A jovem bateu a cabeça no chão, chegou a ser socorrida e foi levada ao Hospital Municipal de Caucaia, mas não resistiu. Segundo o hospital, os médicos tentaram reanimar a estudante e realizaram massagem cardíaca. A provável causa da morte foi um traumatismo crânio-encefálico (TCE).

Uma mulher que mora próximo ao local do acidente contou que o motorista não fugiu após o acidente, como a família acusa. A empresa de ônibus disse que ainda não vai se pronunciar oficialmente, mas que oferece assistência à família e que está apurando e averiguando as informações sobre o acidente, com imagens e testemunhas, e só após esse processo vai emitir pronunciamento.

Jessika morava com a mãe, o padrasto, avó e dois irmãos, e tentava conseguir emprego para ajudar a família, segundo conta a mãe. "Vai ser muito difícil acordar amanhã e não fazer a comida pra ela levar pra faculdade. Era batalhadora, tinha conseguido entrar na faculdade a muito custo. Hoje estou sem minha filha por imprudência", diz a mãe de Jessika, a costureira Aurilene Sousa. O velório será na casa da avó. O enterro será na quarta-feira (3), no interior.

Fonte: G1 CE

  • Cabedo
  • Ada Atten
  • Blossom
  • Espeto e Cia
  • Paraiba