• Paraiba
  • Ind Discovery
  • Oticas Floriano
  • Construforte
  • Floriano Veiculos
  • Garoto
  • Jorge
  • Dario PAX
  • Posto Aliança
  • chopp sabora
  • Posto Aliança
  • Floriano Veiculos
  • Garoto
  • Paraiba
  • Jorge
  • Ind Discovery
  • Construforte
  • Oticas Floriano
  • chopp sabora
  • Dario PAX

Nesta terça-feira, a Fifa anunciou: 622.117 bilhetes já foram comercializados para a Copa do Mundo de 2018. A maior parte, de acordo com a entidade, está destinada a torcedores russos, os anfitriões - o que ainda precisa ser confirmado com pagamento.

4107e3e57e49bae2c6bb56a9e99770a6

De acordo com a Fifa, os fãs locais detiveram 57% dos ingressos. Os restantes 43% ficaram com torcedores dos Estados Unidos, China, Alemanha, Brasil, Israel, Inglaterra, Finlândia, México e França. Cabe destacar que, ao todo, foram solicitados 3.496.204 bilhetes nesta primeira fase da venda, entre os dias 1º e 12 de outubro.

O comandante do setor de venda de ingressos da Fifa, Falk Eller, se disse "surpreendido" com a alta procura dos bilhetes.

"Estamos surpreendidos e sobrecarregados com uma responsabilidade positiva pelos torcedores russos e internacionais. Como apenas alguns times para se classificar, estamos esperando novamente uma grande demanda quando as vendas recomeçarem na quinta-feira.

Considerando o interesse de torcedores de todo o mundo em na Copa do Mundo de 2018, gostaríamos de frisar que a única fonte oficial, legítima e ao mesmo tempo mais amigável para o usuário comprar ingressos é o site da Fifa.

Os torcedores que comprarem ingressos de outras fontes assumirão o risco de perder a Copa do Mundo, e não queremos que isso aconteça", disse o cartola.

Nesta quinta, a nova fase de vendas terá início. Dia 28, conforme o programado, será concluída, em etapa na qual as compras serão feitas de forma direta, sem necessidade de solicitação. A Fifa prevê começar o processo de entrega dos ingressos adquiridos em abril ou maio.


Fonte: Lance

A Chapecoense briga para se afastar da zona de rebaixamento. O Santos brigava pelo título. E adivinhe qual teve jogadores improvisados, espaços no meio de campo, excesso de passes errados e total desorganização tática? A vitória com facilidade por 2 a 0 do Verdão do Oeste, na Arena Condá, te responde.

51221a3daf825d20db8f2ee8a2388bae

A inversão de papéis pôde ser percebida logo no início do jogo. O Peixe, melhor colocado na tabela, não tinha objetividade. Trocava passes curtos, muitos errados, e só se defendia. A Chape, na parte de baixo da tabela, construía jogadas pelos lados e dava trabalho para a defesa adversária.

Logo aos 13 minutos, em um contra-ataque do Verdão do Oeste, Luiz Antônio buscava Arthur Caíque na área, mas achou a mão de Lucas Veríssimo em cima da linha que delimita a grande área. Alguns segundos depois do toque, o árbitro Jailson Macedo Freitas assinalou pênalti, este convertido por Wellington Paulista.

A partir daí, o Peixe, que passava longe da organização tática, só se complicou. Elano mandou a campo três volantes, sendo que Victor Ferraz estava improvisado na lateral esquerda, na vaga de Caju, que se machucou no dia do jogo. Embora a alteração pareça defensiva, Alison, Renato e Matheus Jesus estavam distantes.

Lucas Lima então, parecia estar mais longe do que todos. A consequência disso foi a substituição do camisa 10 aos sete minutos do segundo tempo com muito descontentamento. Em seu lugar, entrou Jean Mota, que apesar de entrar no meio de campo, não armou o jogo.

A Chape esperava o erro de um time que atuava só por impulso. Em determinado momento, Renato tentava chegar na área, depois, Jesus tentava surpreender, mas só deixava buracos no meio.

Também pelo lado do campo, os donos da casa acharam o segundo gol. Weelington Paulista ganhou de Luiz Felipe na corrida e lançou para Arthur Caíque vencer Lucas Veríssimo e dar só um toque na bola para superar Vanderlei.

A derrota custou ao Santos o adeus à chance de título e a queda para a 4ª colocação. O Verdão do Oeste chega a 44 pontos e fica em 13º. Sem nem voltar para casa, o Peixe vai a Salvador encarar o Bahia, na quinta-feira. A Chape recebe o Vitória em casa.


Fonte: Terra

Na véspera do último jogo da seleção brasileira no ano, o treinador Tite e o lateral Daniel Alves, escolhido para ser o capitão nesta terça-feira, concederam entrevista em Wembley após o último treino da equipe.

1d7d4cf36f9e48ba3d97812d4182e8ff

Os dois destacaram a competição interna pelas vagas na convocação final à Copa do Mundo e a qualidade dos ingleses, principalmente de Kane. Neymar e Gabriel Jesus também foram lembrados.

"Não importa os nomes dos jogadores que iremos enfrentar, a Inglaterra sempre merecerá respeito. Desfalcada ou não, temos que entender o tamanho da partida e dar a devida atenção ao nosso adversário", afirmou Daniel Alves, que celebrou a braçadeira de capitão, mas reiterou que todos no grupo possuem a mesma importância.

"Será importante para a gente observar as características diferentes. São escolas diferentes, enfrentamos a asiática, mais móvel e veloz, e agora vamos com a inglesa, mais pegada, de triangulação, de toque de bola. Tem a bola parada, tem a força física, mas tem muita qualidade. Principalmente com estes jovens que estão surgindo, como Delle Ali e Harry Kane", continuou Tite.

O treinador da seleção ainda disse que o centroavante do Tottenham é diferenciado e tem fundamentos de finalização bem acima da média. Ainda sobre o adversário desta terça-feira, Tite confirmou que a partida é sim mais uma simulação de Copa do Mundo e elegeu a Inglaterra, como todas as grande seleções, favoritas à conquista do Mundial.

Já sobre a seleção brasileira, o treinador confirmou que na terça colocará em campo aquele que entende como os 11 ideais para a escalação inicial do Brasil - Alisson; Daniel Alves, Marquinhos, Miranda, Marcelo; Casemiro, Paulinho, Renato Augusto; Philippe Coutinho, Neymar e Gabriel Jesus.

Falando já em Copa do Mundo, tanto Tite, como Daniel Alves, destacaram a seriedade com que os atletas têm que encarar todas as partidas até o embarque para Rússia, já que a concorrência é grande.

"Todos estão disputando titularidade, vaga e estão sendo acompanhados. Os clubes que nos dão abertura, estamos falando com eles, com os técnicos, com o staff, tudo isso para potencializar o atleta. A aproximação que tivemos com o Liverpool no caso do Coutinho é um exemplo. O atleta estando bem, ganha o clube e ganha a seleção", afirmou o treinador.

"Não posso tentar ser bonzinho. Eu tenho que ser leal. Eles estão competindo por um lugar, vai ser difícil tomar uma decisão, mas não procuro olhar lá na frente procuro medir os trabalhos diários para, lá na frente, decidir isso", continuou o Tite, que ainda destacou Firmino, Fernandinho, Willian como alguns que estão em alto nível e seguem na briga por um lugar na Copa.

Brasil e Inglaterra se enfrentam no início da noite desta terça-feira, às 18 horas (de Brasília), em Wembley.

Jesus "novo Ronaldo" e Neymar versátil

Além do jogo desta terça-feira e da aproximação da Copa do Mundo, as estrelas da seleção Neymar e Gabriel Jesus também foram citados na entrevista. Logo de cara, Daniel Alves foi perguntado sobre o atacante do Manchester City e não fugiu do assunto.

"Quando falei que o Gabriel é o novo Ronaldo Fenômeno eu não estava brincando. Continuo acreditando nisso, pelas qualidades e vontades similares. Tenho certeza que ele já é um grande jogador e vai se tornar maior ainda no futuro", afirmou o lateral.

Mais tarde, o comandante da seleção brasileira foi ao encontro do que seu capitão disse: "O City tem que agradecer ao Palmeiras e sua equipe por ter entregado um jogador tão bem preparado técnica e fisicamente. Isso permitiu que ele chegasse e tivesse uma boa fluência na equipe".

Já sobre Neymar, Tite destacou a versatilidade do atleta e não falou em "neymardependência". "Ele é extraordinário pelos gols que faz e por aqueles que assiste. Na última Champions League, por exemplo, ele foi o primeiro ou o segundo em passes para gol. Fora isso, a presença dele por si só exige uma cobertura, uma movimentação que pode nos abrir espaços", lembrou o comandante.


Fonte: msn

Desde 1958, a seleção da Itália não ficava de fora da disputa de uma Copa do Mundo. Nesta segunda-feira, a Azzurra só empatou com a Suécia pelo placar de 0 a 0 e, por ter perdido pelo marcador mínimo na partida de ida das repescagens europeias para o Mundial da Rússia, se viu sem vaga para o principal torneio de futebol do mundo depois de 60 anos.

48c94a4a89537814e31ef6660acaf834

Graças ao placar do primeiro confronto, os comandados de Giampiero Ventura precisavam devolver o placar para levar a repescagem à prorrogação e, caso vencessem por dois ou mais gols de diferença, garantiriam vaga direta para a Copa.

Essa é apenas a terceira vez que os italianos ficam de fora do torneio. Com o brasileiro Jorginho em campo, o resultado adverso da Itália fez com que o goleiro ídolo da seleção, Gianluigi Buffon, não chegasse ao seu sexto Mundial.

Pelo lado da Suécia, a equipe nórdica, que não chegava à disputa de um Mundial desde 2006, carimbou seu passaporte para a Rússia sem seu principal jogador: Zlatan Ibrahimovic, com uma lesão no joelho e aposentado da seleção desde a Eurocopa de 2016, não esteve em campo.

A partida começou nervosa, devido a magnitude e importância do duelo. Sem grandes chances de gol no início, em menos de 10 minutos Chiellini, da Itália, e Johansson, da Suécia, já estavam com um cartão amarelo recebido.

Apesar de dominar na posse de bola nos primeiros momentos de jogo, chegando a ter 73% de tempo com a bola nos pés, os italianos cometiam muitos erros no terço final do campo, desperdiçando chances de inaugurar o marcador. A primeira boa oportunidade da Azzurra veio aos 26 minutos da etapa inicial, com um chute por cima do travessão de Candreva.

Pouco depois, os visitantes reclamaram de um pênalti não marcado pela arbitragem. Forsberg tentou o passe em profundidade dentro da área, e a bola bateu no braço de Barzagli. O juiz do confronto não assinalou a penalidade e advertiu, com cartão amarelo, o meia sueco, por reclamação.

Aos 39 minutos do primeiro tempo, já na reta final do período, a Itália teve mais uma chance de abrir o placar. Aproveitando o recuo da Suécia e colocando pressão nos visitantes, Immobile recebeu passe em profundidade e conseguiu o giro dentro da área, chutando em direção ao gol. Olsen desviou na bola, tirando sua força, e a zaga sueca afastou, impedindo o gol iminente italiano.

O segundo tempo foi mais do que se viu na etapa inicial: os comandados de Giampiero Ventura tentando o ataque, mas não conseguindo chegar com contundência ao gol, enquanto a Suécia apostava na solidez defensiva e no contra-ataque.

Com o 0 a 0 persistindo no marcador, o técnico italiano promoveu duas alterações mais ofensivas, deixando claro o desespero da Azzurra em marcar pelo menos um gol. Darmian e Gabbiadini saíram para a entrada de El Shaarawy e Belotti.

Com isso, a Itália fez pressão total nos minutos finais, chegando a criar boas chances, com Parolo e El Shaarawy. Apesar disso, os tetracampeões mundiais não conseguiram chegar ao gol e, ao apito final do árbitro da partida, viram suas chances de classificação à Copa do Mundo de 2018 se acabarem.


Fonte: Gazeta Esportiva

  • Cabedo
  • Ada Atten
  • Espeto e Cia