• Paraiba
  • Ind Discovery
  • Oticas Floriano
  • Construforte
  • Floriano Veiculos
  • Garoto
  • Jorge
  • Dario PAX
  • Posto Aliança
  • chopp sabora
  • Posto Aliança
  • Floriano Veiculos
  • Garoto
  • Paraiba
  • Jorge
  • Ind Discovery
  • Construforte
  • Oticas Floriano
  • chopp sabora
  • Dario PAX

Os tropeços que o São Paulo acumulou na primeira etapa do Campeonato Brasileiro continuam a se repetir na virada do turno.

e2ffd354373aadaa91e4934603658874 1Foto - Rubens Chiri/Saopaulofc.net

Depois de iniciar o jogo com os reservas, a equipe de Rogério Ceni escalou os principais titulares na etapa final, mas nem assim conseguiu evitar a derrota por 1 a 0 para o Athletico-PR por 1 a 0 na Arena da Baixada, neste domingo.

Foi o quinto jogo sem vitória da equipe no torneio (quatro empates e uma derrota).

As oscilações no torneio impedem o avanço na tabela e praticamente obrigam o time a direcionar o foco para a disputa dos outros torneios. Na quarta-feira, o time enfrenta o Ceará pelas quartas de final da Copa Sul-Americana no Morumbi.

A derrota teve uma curiosidade. Pelo segundo jogo seguido, o São Paulo viu seu goleiro cometer um pênalti e defender a cobrança em seguida.

Com o triunfo, o Athletico reafirma sua força como mandante. Faz três meses que o time paranaense não perde em casa considerando-se todas as competições (10 vitórias e 3 empates). A última derrota foi para o Atlético-MG na segunda rodada do Brasileirão.

O técnico Rogério Ceni escalou uma equipe alternativa em relação à vitória sobre o América-MG, pela Copa do Brasil. Daquela escalação, só Miranda começou o jogo.

A opção indica que, pelo menos nas próximas semanas, o time vai priorizar os confrontos com o Ceará pelas quartas de final da Copa Sul-Americana.

Nesse time bastante mexido, o goleiro Felipe Alves fez sua estreia depois de ser contratado às pressas por conta da lesão de Jandrei. Outro recém-chegado que fez sua primeira partida como titular foi o argentino Giuliano Galoppo.

Essa nova formação teve muita dificuldade para manter a posse de bola no meio e no ataque. Ela batia e voltava. O time demorou para se encontrar.

Sem um centroavante característico, Nikão foi o jogador mais avançado, com a aproximação de próprio Galoppo, o time também ficou sem profundidade. Por conta dessas deficiências, o time só conseguiu uma chance no final do primeiro tempo com Galoppo.

As dificuldades surgiram por que o Athletico usou sua formação titular mesmo com confronto decisivo pela Libertadores na quarta-feira diante do Estudiantes.

Com escalação principal e a pressão característica da Arena da Baixada, o Athletico sufocou desde o início. Pressionou muito, mas conseguiu poucas finalizações.

A principal chance do time da casa foi no final do primeiro tempo, quando Felipe Alves salvou chute de Vitor Roque.

O estreante são-paulino foi novamente protagonista no início do segundo tempo. Contratado pela sua habilidade com a bola nos pés, Felipe Alves errou um domínio na saída de bola e fez pênalti em Vitor Roque.

Seria uma tragédia para um estreante, mas o goleiro conseguiu se redimir e defendeu a cobrança de Thiago Heleno. Felipe Alves foi do inferno ao céu em dois lances

Vale lembrar que o mesmo roteiro já havia acontecido com Thiago Couto, goleiro reserva, na vitória diante do América. No segundo pênalti marcado contra o São Paulo, Felipe Alves não teve chances de defender.

O lateral João Moreira derrubou Canobbio na entrada da área. Na cobrança, Vitor Bueno abriu o placar aos 23.

Mesmo com a volta do ataque titular em campo (Calleri e Luciano), o São Paulo continuou com dificuldades para criar. Faltava avanço dos laterais e mais jogadas pelos lados.

Faltava aproximação no meio. Diante da escassez de ideias, o time apostou na bola parada, mas nem isso funcionou.

Fonte: Estadão Conteúdo

Mesmo com o retorno de Cuca à beira do gramado, o Atlético-MG voltou a decepcionar a sua torcida no Brasileirão ao perder para o Internacional, neste domingo, em Porto Alegre.

beb9e45c819d149c34fdbc37a035975d

A derrota por 3 a 0 para o time gaúcho evidencia o declínio do atual campeão nacional na temporada.

A vitória do Inter foi construída toda no primeiro tempo. Maurício (duas vezes) e Wanderson selaram o triunfo que marcou com derrota o início dessa nova passagem do técnico Cuca no Atlético-MG.

O time, que vinha de revés em casa para o Corinthians, segue estacionado com 32 pontos e tem dez a menos que o líder Palmeiras. Já o Inter tenta se recuperar na classificação e tem a mesma pontuação do Flamengo (33) na tabela.

A semana reserva jogos decisivos para as duas equipes em competições internacionais. O Atlético-MG recebe o Palmeiras pelo primeiro jogo das quartas de final da Libertadores, na quarta-feira.

Já pela Copa Sul-Americana, o Internacional entra em campo na quinta-feira e encara o Melgar, também pela fase mata-mata, em Arequipa.

O Inter abriu o placar logo aos 6 minutos em belo gol de Maurício, que dominou com liberdade pelo meio e arriscou um chute de meia distância. Everson foi na bola, mas não conseguiu fazer a defesa: 1 a 0.

A desvantagem abalou o time mineiro, que passou a atacar de forma desordenada. O Inter recuou os homens de meio-campo e teve o contra-ataque em velocidade como principal arma.

E foi numa escapada de Edenílson pela direita que saiu o segundo gol. Ele chegou à linha de fundo e cruzou rasteiro. Wanderson chutou firme e aumentou a vantagem para 2 a 0, aos 23 minutos.

O Atlético-MG passou a falhar também na saída de bola e isso tornou o contra-ataque gaúcho ainda mais letal. Carlos De Pena acionou Maurício que, de perna esquerda, bateu no cantinho e fez o terceiro do Inter, ainda no primeiro tempo.

A etapa final apresentou um jogo mais equilibrado, com o Atlético-MG mais objetivo a fim de diminuir a diferença.

Arana acertou o travessão do goleiro Daniel e Sasha perdeu outra grande chance. Bem marcado, Hulk teve pouco espaço no duelo contra os zagueiros.

Com a partida sob controle, o Internacional passou a administrar o ritmo. O Atlético-MG ainda tentou as bolas alçadas na área, mas a defesa gaúcha conseguiu levar vantagem no jogo aéreo.

Apesar da sensível melhora na etapa final, o time mineiro teve de se contentar com a derrota na volta de Cuca ao comando técnico do clube.

Fonte: Estadão Conteúdo

Esses homens e mulheres que se empenharam nos bastidores para o sucesso do desafio do Professor Eloneide Gomes, ao lado do paratleta Luiz Alves, fizeram valer o ditado "A uniãoa faz a força" e cada um a sua maneira, representou a força necessária que os nossos atletas precisaram para atingir o objetivo com sucesso. Parabéns a todos. Que venha o próximo aniversário e o próximo desafio.

WhatsApp Image 2022 07 31 at 19.00.53 1

Da redação

Conforme nós informamos, o Repórter Carlos Iran acompanhou todo o percurso do desfio de nadar 30 KMs do povoado Manga até o cais da beira rio em Floriano. Nossa repórter entrevistou os apoiadores César Augusto, César do caiaque e com o próprio professor Eloneide. "É um desafio muito grande". Disse Eloneide.

Eloneide Gomes

Da redação

  • Ada Atten
  • Cabedo
  • Espeto e Cia