• Dario PAX
  • Posto Aliança
  • Oticas Floriano
  • Casa dos frios
  • Garoto
  • Farmaduty
  • Garoto
  • Farmaduty
  • Casa dos frios
  • Dario PAX
  • Oticas Floriano
  • Posto Aliança

A Confederação Brasileira de Futebol liberou o calendário para a temporada de 2020, com atividades de janeiro a dezembro. O futebol piauiense estará presente na Copa do Brasil, na Série D, além evidentemente do Campeonato do Estado e na Copa do Nordeste.

28716e59f782bdca17df9aadd7da7353

A programação está assim:

PRÉ-TEMPORADA

Vai começar em 8 de janeiro, indo até o dia 21.

SUPERCOPA DO BRASIL

A disputa será entre o Campeão Brasileiro e o Campeão da Copa do Brasil, ambos de 2019. O Atlético Paranaense, campeão da Copa do Brasil, já está na decisão. Espera conhecer o adversário, o que acontecerá no final do Brasileiro da Série A.

CAMPEONATOS ESTADUAIS

Os Campeonatos Estaduais começarão em 22 de janeiro e terminarão em 26 de abril. Apenas 16 datas estão reservadas para os Campeonatos Estaduais.

SÉRIE A DO CAMPEONATO BRASILEIRO

A abertura será em 3 de maio, com encerramento marcado para 6 de dezembro. Participarão 20 clubes, sendo mantido o sistema atual.

SÉRIE B DO CAMPEONATO BRASILEIRO

Começará em 2 de maio, para terminar em 28 de novembro. Participarão 20 clubes, sendo mantido o sistema atual.

SÉRIE C DO CAMPEONATO BRASILEIRO

Fica mantido o sistema atual, começando em 3 de maio e terminando em 8 de dezembro. O sistema de disputa não muda.

SÉRIE D DO CAMPEONATO BRASILEIRO

A abertura será em 3 de maio, para terminar em 22 de novembro. O número de clubes caiu de 68 para 64, divididos em 8 grupos de 8, com jogos de ida e volta. Assim, logo na primeira fase cada clube fará 16 jogos de ida e volta.

COPA DO BRASIL

A Copa do Brasil vai começar em 5 de fevereiro. A decisão será em 16 de setembro.

A CBF deverá anunciar na próxima semana a tabela da Copa do Nordeste e também o calendário para o futebol feminino e para as competições de base.

 

Fonte:cidadeverde.com

A craque Marta e a técnica Pia Sundhage estão juntas pela primeira vez na seleção brasileira, para a disputa de amistosos contra a Inglaterra, sábado, às 8h45 (horário de Brasília), no Estádio Riverside, em Middlesbrough, na Inglaterra e contra a Polônia, terça-feira, às 15h15, na Suzuki Arena, em Kielce.

86bbb8651416ec063fdcf245ee7dd61aFoto: Daniela Porcelli/CBF

Na primeira convocação da sueca à frente da seleção brasileira, em agosto, Marta foi cortada devido a uma lesão na coxa esquerda, sofrida durante uma partida pelo Orlando Pride, dos Estados Unidos.

O Brasil enfrentou Argentina e Chile, em jogos no Pacaembu. "Eu tenho que treinar com ela porque já estava começando a esquecer um pouco o sueco, vou ter essa oportunidade agora de recapitular muitas coisas que já estavam esquecidas na memória", brincou a jogadora eleita seis vezes a melhor do mundo

"Estou muito feliz com a chegada dela, por estar tendo essa oportunidade de conhecê-la, já que não fui na primeira convocação. Então é aproveitar esse momento porque a gente sempre está em busca de progredir, e agora estamos tendo essa chance", afirmou a camisa 10.

Será a primeira vez que Marta vestirá a camisa do Brasil após o Mundial, no qual o Brasil caiu nas oitavas de final para as anfitriãs francesas. A meia prevê duelos muito equilibrados, mas principalmente, bons testes para a nova fase da equipe.

"A Inglaterra é uma equipe que a gente já conhece que tem uma escola muito forte aqui na Europa. Elas têm jogadas rápidas, são fortes fisicamente, não é muito segredo a maneira que elas jogam A Polônia já é uma equipe que a gente não tem tanta informação, porque não participou da última Copa do Mundo.

Mas perguntando para algumas pessoas aqui da Europa, já sabemos que é uma equipe forte fisicamente. Serão dois grandes jogos que precisamos aproveitar essa oportunidade para crescer cada vez mais", afirmou Marta.

A seleção brasileira fará o último treino antes do duelo com a Inglaterra nesta sexta-feira. A atividade será às 11h (horário local) no Estádio Riverside, o mesmo do duelo com as inglesas. Após o treinamento, Pia dará entrevista coletiva.

Fonte: Estadão Conteúdo

Em jogo com três gols anulados após intervenção do VAR, Flamengo e Grêmio ficaram em um empate por 1 a 1, em duelo válido pela semifinal da Libertadores. O Flamengo abriu a contagem com Bruno Henrique, mas Pepê empatou.

8a30b356f5c94219c917c1a1fe203555Foto: Lucas Uebel | Grêmio FBPA

Por intervenção do VAR, os cariocas tiveram dois gols de Gabigol e outro de Everton Ribeiro anulados. Apesar do protagonismo do árbitro argentino Néstor Pitana e do árbitro de vídeo, o Flamengo teve o domínio de maior parte da partida e esteve bem mais perto de marcar do que os donos da casa, que chegaram ao empate aos 42 minutos do segundo tempo.

Após o duelo de hoje, as equipes voltam suas atenções para o Brasileiro. No domingo, o Flamengo encara a Chapecoense, 11h, na Arena Condá. Já o Grêmio recebe no sábado a visita do Corinthians, às 19h. O jogo que definirá o finalista será no dia 23 de outubro, às 21h30, no Maracanã.

OS MELHORES: LUAN E BRUNO HENRIQUE

Luan, assim como toda a equipe do Grêmio, demorou a entrar na partida, mas, principalmente no segundo tempo, conseguiu fazer o time se movimentar e girar bem a bola no meio de campo.

Bruno Henrique foi, novamente, decisivo em uma partida eliminatória desta edição de Libertadores. O atacante, de cabeça, abriu o placar em um momento que o Grêmio se mostrava melhor em campo e foi o protagonista rubro-negro em Porto Alegre.

QUEM FOI MAL: GALHARDO E ARRASCAETA APAGADOS

O lateral-direito Rafael Galhardo não esteve em uma boa noite. O jogador demonstrou equívocos no sistema defensivo - setor que o Flamengo conseguiu explorar - e, quando foi ao ataque, não conseguiu avançar nas trocas de passes.

Pelo lado rubro-negro, Arrascaeta esteve abaixo do que vinha apresentando. Mesmo quando o Flamengo se mostrava com mais posse de bola, o camisa 14 não se mostrou tão ativo.

PAULO VICTOR É SALVO PELO VAR

Ex-Fla, o goleiro Paulo Victor não teve uma boa noite. Mal em reposições de bola, o gremista falhou nos lances dos gols anulados de Everton Ribeiro e Gabigol. No primeiro, saiu errado no lance.

Já no segundo, colaborou decisivamente para que a bola do rubro-negro entrasse. No gol de Bruno Henrique, o tricolor caiu atrasado e não evitou a bola na rede.

GRÊMIO MUDA ESTILO E DEPOIS ALTERA DE NOVO

O primeiro tempo do Grêmio foi diferente. A estratégia clara era explorar a bola longa, rápida, em Everton e Alisson. Um contra-veneno para a pressão do Flamengo e linhas fechadas à frente da área defendida por Diego Alves. Só que o plano não deu certo e os gremistas ficaram longe do gol. Sem nenhuma chance até o intervalo.

Na etapa final, com mais agressividade e retomando o jogo por baixo e com toques curtos, o Grêmio ganhou metros de campo e gerou boas oportunidades. Em ambas, Diego Alves salvou.
Durante toda a partida, o fio condutor da atuação tricolor foi empenho máximo. Com pitada a mais de pegada do que na comparação com o desempenho médio na 'era Renato'.

FLAMENGO: AVASSALADOR NO PRIMEIRO TEMPO E CIRÚRGICO NO SEGUNDO

O Flamengo entrou em campo com uma proposta de manter a "marcação alta" que vem fazendo sob o comando do técnico Jorge Jesus. E, desta forma, conseguiu empurrar o Grêmio para o campo de defesa e comandar o primeiro tempo, criando boas oportunidades - dois gols foram anulados.

Na volta do intervalo, a equipe rubro-negra teve um momento que perdeu um pouco de presença no meio de campo, vendo o time tricolor melhorar -, mas Diego Alves apareceu bem.

Sob pressão, o Flamengo conseguiu ter calma para colocar a bola no chão e chegou ao gol. Ao mesmo tempo, na defesa, ainda havia espaços, mas o Grêmio aproveitou rara falha.

ARÃO E FILIPE LUÍS SE ESTRANHAM

Após uma jogada que quase resultou em um gol do Grêmio, Willian Arão e Filipe Luís se estranharam e quase se agrediram fisicamente. A dupla foi contida e resolveu o desentendimento na base do papo.

CRONOLOGIA

Aos 21 minutos do 1º tempo, Everton Ribeiro marcou, mas o juiz foi ao VAR e verificou falta de Gabigol na jogada. Dois minutos depois, o auxiliar assinalou impedimento em gol de Gabigol. A equipe que fica na cabine referendou a decisão de campo.

Já aos 39, o juiz consultou o árbitro de vídeo para rever falta de Michel em Gerson. Após a checagem, o gremista foi punido com o amarelo. Aos 23 minutos do segundo tempo, Bruno Henrique abriu o placar. Aos 34, novo gol de Gabigol foi invalidado. Pepê empatou aos 42 da etapa final.

CAMARADAGEM

Antes de a bola rolar, os jogadores dos dois times se misturaram e posaram para uma foto no centro do campo. A ação fez parte de uma campanha da Conmebol contra a violência nos estádios.

MAU EXEMPLO

Do lado de fora, no entanto, cenas que não combinam com o esporte. Na chegada ao estádio, o ônibus do Flamengo foi alvo de objetos arremessados por gremistas. Não houve maiores danos ao veículo e os jogadores saíram ilesos.

BATUQUE LIBERADO

Após um acordo entre as diretorias, a entrada de instrumentos foi liberada para a torcida visitante. Com isso, o jogo na Arena Grêmio foi acompanhado de muito batuque dos lados gremista e rubro-negro. A medida valerá para os tricolores que forem ao jogo no Maracanã.

Fonte: UOL/FOLHAPRESS

O Vasco venceu o Atlético-MG de virada, por 2 a 1, na noite desta quarta (2), no Independência, em jogo adiado da 21ª rodada do Campeonato Brasileiro. Rómulo Otero abriu o placar para os mineiros. Porém, Rossi, de pênalti, e Marcos Júnior, no último minuto, garantiram a vitória para o time carioca.

3e502167fc9a9d931d0b70dee9f51084

Carlos Gregório Jr - Vasco

Com o resultado, o Atlético-MG segue na décima colocação do torneio nacional, com 30 pontos conquistados. A equipe está sete atrás do Bahia, último do grupo de classificação da Libertadores. O time cruzmaltino é o 14º colocado, com 27 pontos, oito a mais que o Cruzeiro, primeiro da zona de rebaixamento.

Na próxima rodada, o Atlético volta a campo contra o Palmeiras, no domingo (6), no Allianz Parque. Já o Vasco joga diante do Santos no sábado (5), em São Januário.

OS MELHORES: ROSSI E OTERO

Rossi acabou com uma seca de sete meses pelo Vasco ao balançar a rede do Atlético-MG nesta noite, no Independência. O atacante de 26 anos não marcava desde 14 de março passado, quando fez um dos gols da vitória por 3 a 2 sobre o Avaí, pela terceira fase da Copa do Brasil.

O jogador bateu o pênalti com tranquilidade e deslocou o goleiro Cleiton. O atacante ainda deu passe para Marcos Júnior estufar as redes nos minutos finais. Ele foi o principal nome do confronto.


De volta ao time titular depois da lesão de Yimmi Chará, o venezuelano apareceu bem em campo. Ele foi quem mais levou perigo à meta defendida por Fernando Miguel, com finalizações de longa distância, sobretudo em cobranças de falta.

O meia-atacante ainda balançou a rede adversária de cabeça, após desvio de Igor Rabello em após cobrança de escanteio de Vinícius. O camisa 80 foi, sem dúvida, o principal nome do setor ofensivo do Galo e do jogo ocorrido em Belo Horizonte.

QUEM FOI MAL: PATRIC

Patric voltou a falhar após muito tempo de regularidade pelo Atlético. O lateral direito cometeu pênalti em Marrony - o lance contou com revisão de Heber Roberto Lopes no monitor do VAR - e cedeu o empate ao Vasco pouco tempo depois de o time mineiro abrir o placar no confronto ocorrido no Independência.

O dono da camisa 2 deu muitas brechas ainda para que Talles Magno jogasse em seu setor. O garoto vascaíno levou bastante perigo à meta de Cleiton. Nos minutos finais, ele errou no lance que gerou o gol de Marcos Júnior. Uma noite para ser esquecida pelo lateral.

CAZARES VAIADO

Acabou a lua de mel do torcedor atleticano com Juan Cazares. O meia-atacante fez mais um jogo apagado pela equipe na noite de hoje, diante do Vasco, e foi muito vaiado pela torcida ao ser substituído por Vinícius, alguns minutos antes do gol marcado por Rómulo Otero. Os companheiros tentaram dar apoio ao dono da camisa 10, mas nem isso foi o suficiente para a torcida cessar a vaia no estádio do Horto.

ATLÉTICO TEM DIFICULDADE PARA CRIAR

Mesmo com mais posse de bola - 52% contra 48% do time rival -, o Atlético-MG teve dificuldade para impor o seu jogo diante do Vasco no Independência. Cazares e Luan pouco criaram no duelo e viram o mandante finalizar menos ao gol adversário que o visitante no compromisso.

Hoje, o clube mineiro finalizou só três vezes na meta de Fernando Miguel. Uma bola acertou o travessão, uma foi para o fundo da rede e a outra foi defendida pelo camisa 1 vascaíno.

VASCO JOGA NO CONTRA-ATAQUE

O Vasco fez uma boa partida em Belo Horizonte. Defensivamente consistente, o time carioca foi ao ataque usando a velocidade de seus homens de frente - Talles Magno, Ribamar e Marrony. O trio, inclusive, levou muito perigo à defesa adversária.

Em algumas oportunidades, eles sofreram com a marcação de Igor Rabello. No entanto, na maior parte do tempo, tiveram o controle deste trecho do gramado e obrigaram Cleiton a fazer pelo menos três importantes defesas.

THIAGO FERNANDES
SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS)

  • Cabedo
  • Ada Atten
  • Rastek
  • Espeto e Cia
  • Paraiba